Lucro da Grendene (GRND3) foi 50,97% menor no 1º trimestre de 2019

A companhia Grendene anunciou um lucro líquido de R$ 76.52 milhões no 1º trimestre de 2019, valor 50,97% inferior ao lucro líquido apurado no mesmo período do ano anterior (R$ 156.06 milhões). Na comparação com o 4º trimestre de 2018 (lucro líquido de R$ 251.32 milhões), houve uma diminuição de 69,55%.

Dificilmente este resultado se deve apenas à queda no consumo, portanto a companhia deva ter perdido market share tanto no mercado interno como também no externo. O consumo brasileiro em geral não foi forte e é provável que tenha caído mais uma vez, mas dificilmente na mesma proporção que anteriormente.

Em nossa avaliação, o principal problema enfrentado pela empresa no trimestre foi a falta de vendas de uma forma
praticamente generalizada entre marcas, modelos e geografias. A Grendene não sofre impacto de custos, a não ser o do crescimento da ociosidade, e uma despesa comercial, não recorrente, devido à rescisão de alguns representantes no valor de R$14 milhões. A eficiência obtida na operação foi possível neste cenário de queda de volumes.

Era de se esperar um mercado externo mais difícil em função do cenário econômico internacional, onde persistem diversas barreiras à importação, um baixo nível de atividade econômica na América Latina, a guerra comercial entre USA e China e a desaceleração econômica de vários mercados importantes como USA, Europa e China.

Entretanto a empresa não esperava queda tão acentuada no mercado interno, ao contrário, esperávamos um início de recuperação.

Diante da realidade observada no 1T19 a empresa prefere não mais falar em recuperação de consumo de calçados no mercado brasileiro para este ano, permanecendo completamente indefinido como a economia, o consumo e o consumidor devem se comportar. A tão esperada recuperação ainda não começou e pode nem acontecer este ano.

Posicionamento Ideal Investimentos

Nesse sentido, ainda classificamos a empresa como ótima opção conservadora e sólida para opção de hedge de carteira (proteção). As perspectivas de longo prazo são de que a empresa se desenvolva em linha com o PIB, e apesar do standby da gestão atual em relação a recuperação de 2019, acreditamos que ela ocorrerá inevitavelmente nos próximos anos, em linha com seu histórico operacional que sempre foi POSITIVO.

Apesar do cenário ruim para o setor, a Grendene pretende preservar as margens em 2019, mesmo ao adotando estratégia de promoções.

Aconselhamos os investidores que já aplicam na empresa que mantenham suas posições, até porque a empresa paga excelentes dividendos, no entanto, que não façam novos aportes, até que possamos avaliar e ter uma visão mais clara sobre o posicionamento e objetivos da empresa nos próximos trimestres.

Acreditamos que existem melhores oportunidades de alocação, frente as ações da Grendene, mesmo com a queda substancial do dia de hoje (26 de Abril 13h00).

Conheça a Grendene

A Grendene manufatura calçados para homens, mulheres, crianças em todos os segmentos de mercado de massa. Está envolvida no processo completo de fabricação, começando pela unidade de moldagem e fábricas até a logística de distribuição, atingindo distribuidores até varejistas tradicionais e não-tradicionais no território doméstico e no exterior. As principais marcas da companhia são Melissa, Rider, Grendha, Ipanema Gisele Bundchen, Ipanema, Ilhabela, Grendene Kids, Grendene Baby e Zaxy. No Brasil, a empresa opera nos estados do Ceará, Rio Grande do Sul e Bahia. No exterior, a Grendene está presente nos Estados Unidos e na Argentina.